sábado, 30 de janeiro de 2010

Hotel Espacial


O primeiro hotel no espaço abrirá suas portas em 2012 (esperemos que seja antes de 21 de dezembro de 2012) e viajar até ele para ficar três dias a 450 quilómetros da Terra, custará três milhões de euros.


Considera-se que na próxima década (2010-2020) começará a desenvolver-se o turismo espacial.


As estimativas indicam que em 2012 haverá em torno de 40 mil pessoas com capacidade económica (será mesmo?) para comprar uma passagem de três milhões de euros, una quantia que, ainda sendo literalmente astronómica, está longe dos mais de vinte milhões de dólares que pagou o milionário Dennis Tito para ser o primeiro turista: do espaço. (e do bilhão de euros para entrar na arca)


O preço da viagem, que se pode reservar no site da Galactic Suite, inclui 18 semanas de preparação numa ilha do trópico para treinar ao turista para sua experiência no espaço.


A viagem será numa lançadeira espacial que se acoplará ao hotel Galactic Suite – também chamado Spaceresort – que sempre permanecerá em órbita ao redor da Terra e está formado por cinco módulos em forma de cacho de uvas.


Para adaptar o projecto à realidade, o grupo de arquitectos e engenheiros que idealizaram o hotel, inspirou-se na natureza e nos crescimentos básicos; o conceito de “cacho de uvas” surgiu depois de analisar vários sistemas naturais similares.


Uma das principais motivações do desenho é que está concebido para que o homem tenha 360 graus de liberdade, sem os tradicionais conceitos de acima e abaixo ou direita esquerda.


Os habitáculos do Galactic Suite; o hotel mais caro e sofisticado do planeta, terão forma de cápsula com sete metros de comprimento e quatro de largura, sem ângulos nem linhas rectas, com apenas algumas saliências para que o usuário possa acoplar-se nelas para comer, dormir ou olhar o espaço – contarão com janelas grandes – e disporão de uma zona de dia e outra para dormir. (cadê o banheiro?)


Em cada voo viajarão seis pessoas: dois tripulantes e quatro turistas. (por quê tão poucos?).


Durante os três dias de estada no hotel orbital a lançadeira permanecerá ancorada no módulo de chegada para dar segurança ao passageiro.


O módulo de base terá a função de zona comum de estar e conectará com os habitáculos – cada um para duas pessoas – e com um módulo de serviço.


Após os três dias de estada, nos quais o hotel completará órbitas de 80 minutos, e poder-se-á ver sair e pôr-se o sol quinze vezes ao dia, a lançadeira retornará à Terra, fechando-se as instalações até que cheguem os seguintes viajantes. (eu faria diferente, mas enfim)

*******.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Responderei a todos os comentários.
Não se acanhe por causa da moderação. Se gostou, comente. Se não gostou critique, mas critique com criatividade, assim pode ser que seu comentário permaneça no blog por tempo suficiente para todos verem.
(As opiniões dos comentários não necessariamente refletem as minhas e às vezes nem as do autor dos comentários...)