domingo, 16 de maio de 2010

Brick Bradford - 002

Brick Bradford, de William Ritt e Clarence Gray (1933).

Muitos anos antes de Star Trek existir...


A HQ de ficção científica lembrava quadrinhos tais como Skyroads, Buck Rogers e Flash Gordon visto que suas histórias características giravam à roda de temas como dinossauros, vilões intergalácticos, robôs e mundos sub-atômicos. Em meados dos anos 1930 a popularidade de Brick Bradford aumentou grandemente e a série ganhou uma edição semanal iniciada em 24 de Novembro de 1934, bem como já havia começado a aparecer nos suplementos dominicais dos grandes jornais em 1933, 15 meses antes de sua publicação semanal.

Em 20 de Abril de 1935, a série Brick Bradford ganhou uma máquina do tempo (no formato de um pião, que tanto podia ir para o futuro quanto para o passado) chamada de Time Top nos quadrinhos (similar àquela de Brucutu), a qual tornou-se um produto básico para a série pelos anos seguintes, bem como significou o primeiro uso regular de viagem no tempo numa HQ..

(Ah... sim! Não se esqueça de clicar nas imagens para aumentar!!)



Isto era o que me fascinava: a possibilidade de viajar no tempo...!
Continua no próximo domingo.


4 comentários:

  1. El-Chak al-Haddin17 de maio de 2010 16:21

    A ingenuidade das histórias espanta o leitor de hoje: a heroína ao sentir cheiro de fumaça determina o abandono da nave, sem nem ao menos verificar se é grave ou não...
    Mas vale, Brick Bradford e sua heroina bela e ingênua sempre valem uma releitura.

    ResponderExcluir
  2. Muito obrigado El Chak pelo seu comentário.
    As heroínas belas e ingênuas eram padrão nos quadrinhos e filmes antigos. Bem distantes da Sigourney Weaver, matadora de aliens monstruosos do cinema atual.
    Há mais aventuras em Brick (Brigue Forte) Bradford. Esta aventura vai longe.
    *******
    Veja também "Abismos Invisíveis" em espanhol, um estilo de desenho também antigo.

    ResponderExcluir
  3. El-Chak al-Haddin20 de maio de 2010 17:27

    Sigourney Weaver em "Alien" (1º) podia não ser ingênua, mas que estava bela pra caramba (e sensual, naquela cena inesquecível em que troca o traje espacial, quase no fim do filme...) ah! isso estava!

    ResponderExcluir
  4. Concordo. Nunca esqueço aquela cena em que ela fica de calcinha e camiseta, antes de deitar na cámara hiubernadora.

    ResponderExcluir

Responderei a todos os comentários.
Não se acanhe por causa da moderação. Se gostou, comente. Se não gostou critique, mas critique com criatividade, assim pode ser que seu comentário permaneça no blog por tempo suficiente para todos verem.
(As opiniões dos comentários não necessariamente refletem as minhas e às vezes nem as do autor dos comentários...)