sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Mundos Paralelos - Capítulo 7-7.3

7-7.3
Sexta feira, 28 de junho de 2013. Ao amanhecer.


Os antárticos do acampamento marciano viram descer a Antílope e resolveram voltar.
Além dos astronautas de serviço, técnicos e cientistas, sobrou pouca gente no Ponto de Apoio, apenas Aldo e Inge, Lúcio e Eva, Marcos e Bárbara, Nico e Tama; e Regina sem Boris; que em missão, partira à frente da caravana de veículos e a viagem seria demorada.


Testavam um novo tipo de roupas de abrigo e por primeira vez a pele seria exposta à inclemência da atmosfera marciana. Os trajes eram similares aos usados em Antártica; com aquecimento e capuzes com máscaras em vez de capacetes completos. O ambiente era semelhante ao do Himalaia e precisavam aclimatar-se.


Além do mais, os novos trajes (aproveitando os jocosos comentários de Regina na expedição anterior), permitiam urinar e defecar no chão, economizando água e energia da latrina dos carros. Ao partir, no dia 25, Boris dissera:



–Agora sim poderemos demarcar nosso território, Regina. De trinta em trinta quilômetros, paramos e damos uma boa urinada!
–Levem bastante cerveja, machões – respondera a bem-humorada psicóloga.

*******.


Eram as nove da manhã e tomavam café. Agora todo estava parado, quieto na base, até que chegassem os 400 colonos; aí sim, tudo seria agitação.


–Devemos aproveitar o tempo livre – disse Aldo.


–Estou de acordo – disse Regina – o que podemos fazer para divertir-nos?


–Tenho vontade de conhecer a Ikeya-Maru por dentro – disse Eva.


–Pediremos a Chiyoko que nos mostre a nave – disse Aldo – há tempo que desejo conhecê-la. Dos nossos, o único que entrou nela foi Andrés.


–Andrés disse que está decorada ao estilo japonês – comentou Lúcio.



–O saberemos logo – disse Regina – olhem pela janela.



Lá fora, aproximava-se a pequena figura de Chiyoko. Apesar do traje e a pouca gravitação, ela não perdeu o seu encanto oriental de caminhar. Logo se abriu a eclusa.



–Buenos días para todos – disse a jovem em espanhol.



–Tomou café? – perguntou Regina.



–Tomei chá. Gracias – disse Chiyoko pendurando o capacete.



–Falávamos de conhecer sua nave por dentro – disse Lúcio.



–Quando queiram.



–Hoje é sexta-feira e temos o fim de semana inteiro para vadiar – disse Eva.



–Sexta-feira...? Até perdi a noção do tempo. Vamos?



–Não contem comigo – disse Marcos – nem com Bárbara nem Tamara; temos muito que fazer. Vamos para o canal com Lon Vurián e Danai.



–Nem comigo – disse Nico – há exame médico mensal e trabalho até anoitecer.


–Ficarei com você – disse Eva.



–Não, Eva. Vá passear, precisa descansar. A Dra. Yashuko fica no seu lugar e de passo aprendo um pouco de medicina oriental.



–Iremos... Eva, Inge, Lúcio e eu – disse Aldo.



–Também quero ir – disse Regina – desde que Boris foi viajar ao outro lado do mundo estou mais entediada do que uma ostra.



–Seremos seis – disse Aldo – os únicos desocupados do Ponto de Apoio.



–Atingimos o máximo, querido – disse Regina – o luxo da preguiça!


*******.

Mundos Paralelos ® – Textos: Gabriel Solis - Arte: André Lima.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Responderei a todos os comentários.
Não se acanhe por causa da moderação. Se gostou, comente. Se não gostou critique, mas critique com criatividade, assim pode ser que seu comentário permaneça no blog por tempo suficiente para todos verem.
(As opiniões dos comentários não necessariamente refletem as minhas e às vezes nem as do autor dos comentários...)