sexta-feira, 24 de junho de 2011

Mundos Paralelos - capítulo 5 - 5.3

5-5.3
A noite do 25 ao 26 de maio...

...Foi agitada.

Em vista de que os nativos tinham conhecimento da presença
dos visitantes, era imperativo acelerar as obras indispensáveis para o caso de que não
se chegasse a um acordo satisfatório. As mais importantes eram o compressor de água, o processador de alimentos; a fábrica de combustível; a de vitrotitânio e a de vitroplast.

Os cientistas da equipe confirmaram que o solo podia suprir os materiais
que necessitavam.

Pesquisaram uma área em volta de 100 kms de raio e os minérios
encontrados foram analisados. Um dos técnicos da Antares tinha um plano de extração de ferro e oxigênio do solo. Boris achava que a floresta renderia muita pesquisa nos próximos cinqüenta anos.

Peter Paz e Pedro Alanís da Antarte encontraram minério
no subsolo do Ponto de Apoio ao procurar água bastante pura à profundidade de 429 metros. Poderiam abrir-se galerias mineiras menos profundas que poderiam servir de moradia em caso de emergência. Usar-se-ia a mesma técnica da Lua; extrair o minério e habitar as galerias.

Francisco e Raúl Oly, da Polaris, projetaram a construção de galerias dentro de montanhas, mas seria iniciado quando houvesse tempo, material, homens e máquinas.

A análise das pistolas marcianas demonstrou que se tratava de um tipo muito avançado de Laser, quase um Phaser. Era um Laser aglomerado, aglutinante. A energia contida no carregador da arma era acumulada como uma espécie de eletricidade, já que o rádio funcionou com energia terrestre, também os veículos
marcianos funcionavam com o mesmo sistema.

Por sua conversa com Lon Vurián, Aldo soube que em Marte não há seres voadores porque não se sustentam na tênue atmosfera. Nem naves aéreas como as dos antárticos.

Os marcianos possuem algumas máquinas antigravitacionais para uso dos líderes de região, mas são pequenas, com capacidade para quatro pessoas e consomem demasiada energia das baterias de energia fria, parecida com a eletricidade terrestre; e que parece mover tudo aqui, carros, pistolas, rádios...

Aldo imaginou que com isto e o que já sabiam; mais a capacidade antártica de produzir energia; seria possível aperfeiçoar os rudimentares antigravitatores locais. Pensou qual seria a capacidade bélica dos marcianos.

Seria páreo para a capacidade antártica?

Aldo pensara em tudo isso quando disse:

–Você e eu, temos tanto para trocar, que seria desastroso sermos inimigos.

*******.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Responderei a todos os comentários.
Não se acanhe por causa da moderação. Se gostou, comente. Se não gostou critique, mas critique com criatividade, assim pode ser que seu comentário permaneça no blog por tempo suficiente para todos verem.
(As opiniões dos comentários não necessariamente refletem as minhas e às vezes nem as do autor dos comentários...)