sexta-feira, 12 de março de 2010

Mundos Paralelos - Capítulo I - 1.15

1.15

O pai de Regina e Lúcio, o general Cardelino e o banqueiro Miguel Blanes, pai de Linda e Bárbara; organizaram a rebelião contra a Nova Ordem Mundial junto com o general Preissler, organizador visível do Esquadrão Shock, grupo de homens e mulheres corajosos que resgatou o Dr. Valerión das garras do inimigo. Entre outras coisas, o Esquadrão seqüestrou no espaço um ônibus espacial da ditadura, no fim do século XX, para colocar essa tecnologia a serviço da Causa. Todos eram visados pela ditadura. Tinham a cabeça a prêmio e grotescas mentiras inventava sobre eles a mídia da situação, mentiras que os humanos marcados, ingenuamente acreditavam; com a mente lavada com programas de TV e mensagens subliminares, além de secretas drogas introduzidas em alimentos e bebidas populares de consumo maciço. Era contra isso que os três líderes antárticos lutavam. Infelizmente era tarde. Os assassinos tinham vantagem sobre a Antílope; devido às desacelerações para resgatar as moças; e pousaram antes. Assim que pousaram, uma figura saiu da base num espaço-moto. Era o principal agente infiltrado que a Nova Ordem Mundial colocara na Lua.
–Como estão rapazes?
–Ótimos; Jack – disse Morris.
–Vamos afastar-nos daqui rápido. Deixei um imbecil lá embaixo que vai morrer junto com todo o pessoal da base.
–Colocou a bomba?
–Ele a colocou. Eu não teria acesso ao gerador principal. Mas, vamos rápido!
Enquanto eles falavam, Leif conseguiu equipar-se com um impulsor e saiu fora da nave, tentando avisar; mas o radio do seu capacete era de curto alcance e não foi ouvido pela base, porém o foi pelos criminosos.
–O capitão fugiu! – gritou James.
–Não se preocupem – disse Jack – não precisamos mais dele. Eu posso pilotar.
–Mas ele pode nos delatar.
–Não há problema. É tarde demais. O processo não pode ser detido. Vamos embora daqui.
Leif foi abandonado à sua sorte na superfície lunar e a Selene III decolou.

*******.


(Continua) Click nas imagens para aumentar

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Responderei a todos os comentários.
Não se acanhe por causa da moderação. Se gostou, comente. Se não gostou critique, mas critique com criatividade, assim pode ser que seu comentário permaneça no blog por tempo suficiente para todos verem.
(As opiniões dos comentários não necessariamente refletem as minhas e às vezes nem as do autor dos comentários...)