sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

Mundos Paralelos - Capítulo I - 1.11

1.11

–Não! Deixem o doutor atendê-lo! – ordenou o que comandava o grupo.
–Mas, Morris, para quê deixá-lo viver? – perguntou o chamado David.
–Deixe que o levem para a base. Menos gente aqui para nos atrapalhar.
–Certo, certo! Vocês! – disse o lacaio da Nova Ordem Mundial dirigindo-se a Nico e Lina – Levem o sujeito para fora, rápido!
Nico e Lina puxaram o corpo sem peso de Eric as dependências da pequena estação de abastecimento que dispunha de enfermaria e médico de plantão permanente.
–O que vocês querem? – perguntou o capitão.
–Eu já disse. Vocês vão nos levar à Lua – disse o chamado Morris – se não querem que lhes aconteça o mesmo que a seu colega.
–Quê lugar?
–Base militar número um.
–Recém chegamos da Lua – disse Leif, tentando ganhar tempo – estamos sem combustível...
–Sabemos – replicou o chamado Morris – e também que mente quanto ao combustível, capitão.
–Está bem! Desembarquem as mulheres – disse Leif por fim.
–Nada disso – replicou o chamado Morris – as vagabundas vão com a gente.
Os lacaios da anti-raça fecharam a eclusa e obrigaram Leif a dar a partida. Meia hora depois, na enfermaria; Eric ainda seguia desacordado após ser atendido por Nico, Lina e o plantonista, mas estava fora de perigo, a bala foi extraída. Não atravessara nenhum órgão vital graças ao traje espacial, mas perdera bastante sangue. Já mais tranqüila, a doutora Lina informou à base Antártica do acontecido e se dispôs a esperar que Eric despertasse.


*******.
(Continua) Click nas imagens para aumentar

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Responderei a todos os comentários.
Não se acanhe por causa da moderação. Se gostou, comente. Se não gostou critique, mas critique com criatividade, assim pode ser que seu comentário permaneça no blog por tempo suficiente para todos verem.
(As opiniões dos comentários não necessariamente refletem as minhas e às vezes nem as do autor dos comentários...)