sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Mundos Paralelos - Capítulo I - 1.7

1.7
Tragédia.
Longe estavam aqueles jovens de imaginar que muito cedo os acontecimentos precipitar-se-iam.
Muita gente não marcada trabalhava na Lua; na cons
trução de bases, desafiando o governo mundial.
A Lua estava ao alcance de
mísseis do braço armado da ditadura; os Estados Unidos.
No século XX foram assinados
tratados obrigatórios de suspensão de testes nucleares com intuito de que apenas aquele país; futuro xerife do governo mundial; estivesse armado.
Membros do Grupo dos Treze, famílias e correligionários, estavam enquistados em pontos chave dos governos desde antes de anunciar ao mundo que eles mandavam de fato; ocultos desde séculos imemoriais.
A Humanidade não sabia que
era escrava, porque o melhor escravo é aquele que não sabe que é escravo.
Os que
recusaram a marca eram caçados e executados, apesar de que, quando nas sombras, os atuais inimigos da raça humana sempre lutaram pelos chamados direitos humanos e pela abolição da pena de morte em todos os países do mundo.
Agora que os integrantes do chamado Grupo dos Treze tiraram a máscara, não tinham escrúpulos em perseguir e matar com prepotência o povo simples, o qual eles consideravam e chamavam animais de duas patas.
Mas isso era
uma arma de dupla face; agora que o povo sabia a verdade, os inimigos da Humanidade não podiam se camuflar entre os humanos normais e migraram para pequenos países nos quais a população normal foi retirada ou exterminada com catástrofes, desastres provocados, enchentes, furacões, terremotos, guerras, fome, embargos comerciais e boicotes.
Enquanto na Antártida preparava-se a expedição salvadora ao planeta Marte, no espaço preparava-se uma maquiavélica infâmia para fragmentar a aliança das pessoas livres.
Assim como
desde anos atrás os rebeldes têm um grupo pioneiro de paladinos conhecido como Esquadrão Shock; que os ajudaram a tomar tecnologia da ditadura; esta também tem um grupo de assassinos infiltrados entre os antárticos; o Grupo Operacional Ligeiro do Estado Mundial.
*******.

(continua)
Click nas imagens para aumentar

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Responderei a todos os comentários.
Não se acanhe por causa da moderação. Se gostou, comente. Se não gostou critique, mas critique com criatividade, assim pode ser que seu comentário permaneça no blog por tempo suficiente para todos verem.
(As opiniões dos comentários não necessariamente refletem as minhas e às vezes nem as do autor dos comentários...)